Enter your keyword

Investimento estudar e morar na Austrália

A comprovação financeira

Muito se pergunta sobre a comprovação financeira para a Austrália. Informação – seja ela correta ou equivocada – é o que mais tem na internet. E ela pode vir de fontes diversas: é alguém de uma agência X, é um estudante recém-chegado no país, ou alguém que chegou há alguns meses e se tornou “especialista” em orientar os próximos aventureiros.

Nesse pequeno artigo, vamos entender algumas coisas:

– Por que preciso comprovar uma renda mesmo se vou trabalhar na Austrália?
– O que a Imigração de fato diz sobre a comprovação financeira?
– Quanto preciso comprovar?
– Como comprovo?
– Levarei minha família. O valor de comprovação muda?

Essas informações se baseiam em fontes seguras, como o próprio site da Imigração e o know how de especialistas que trabalham com essa questão há anos.
Vamos lá!

 

- Por que preciso comprovar uma renda mesmo se vou trabalhar na Austrália?

Um dos fatores mais importantes que a Imigração analisa para a decisão de conceder um visto de estudante é o fator money, dinheiro, cash, recursos financeiros. Você, estudante, tem dinheiro para se sustentar enquanto estuda?

A princípio, se você aplica para um visto de estudo, subentende-se que seu principal objetivo é, obviamente, estudar. O trabalho seria apenas um complemento ao aprendizado. Por isso, a necessidade de apresentar os recursos financeiros.

Se alguém viaja sem ter essa reserva, pode haver o risco de desistência do curso e mais que isso, risco de dificuldade financeira para suprir as despesas de vida. Ou, para evitar essas dificuldades, o estudante pode recorrer ao trabalho acima da carga horária que lhe é permitida, comprometendo assim, os estudos.

- O que a Imigração de fato diz sobre a comprovação financeira?

Simples: você precisa ter recursos financeiros suficientes e que são verdadeiramente disponíveis para você cobrir as despesas com o curso, com seu custo de vida e dos membros da família que te acompanham.

Para verificar se esse valor está genuinamente disponível ao estudante, a Imigração analisará os seguintes fatores:

  • A natureza do relacionamento/grau parentesco entre o estudante e a pessoa que estiver “patrocinando” a viagem;
  • A renda, patrimônio e histórico profissional do estudante ou do patrocinador;
  • O histórico de imigração do estudante e/ou do patrocinador.

Veja mais no link abaixo, no tópico “Eligibility”:

http://www.border.gov.au/Trav/Visa-1/500-

- Quanto preciso comprovar?

Há alguns pontos a serem considerados:
1 – Custo de vida mensal
Desde julho de 2016, a Imigração passou a considerar os seguintes valores para custo de vida:

  • Requerente principal (estudante) ou guardião = AU$19.830 por ano (AU$1.652,50 por mês)
  • Cônjuge dependente = AU$6.940 por ano (AU$578,33 por mês)
  • Cada filho = AU$2.970 por ano (AU$247,50 por mês)

Esse valor é proporcional ao tempo de visto. Por exemplo, se o visto será de 8 meses, o valor corresponde somente a 8 meses de renda.
Para vistos maiores que 1 ano, comprova-se apenas 12 meses (tempo máximo para comprovação).

2 – Valor restante do curso
Para aqueles que ainda tem saldo a pagar à escola, esse valor restante deve ser somado à comprovação financeira, independentemente do tipo de curso que você irá estudar e da duração do curso.
Os cursos superiores que normalmente duram de 2 a 4 anos, têm valores consideravelmente mais elevados. Caso não seja possível apresentar o valor total que resta para o curso, deve-se verificar com o despachante consular a possibilidade de apresentar o valor de 1 ou 2 anos de curso. Essa condição, combinada com uma série de fatores no histórico do estudante, só pode ser confirmada após uma análise cuidadosa do despachante consular, que é um profissional capacitado para tal.

3 – Passagem Aérea
Se o estudante não tiver a passagem aérea no momento da aplicação do visto, deve-se somar aproximadamente R$5.000,00 para cada aplicante.

4 – Despesas escolares dos filhos
Em caso de filhos em idade escolar (a partir dos 5 anos de idade), deve-se somar AU$8.000 por ano para cada filho. Esse valor, claro, é proporcional ao tempo de visto.

- Levarei minha família. O valor de comprovação muda?

Sim. Cada membro da família tem um custo de vida mensal correspondente (confira o tópico anterior).
Para o custo de vida mensal, veja a tabela abaixo para auxílio no cálculo com os valores mensais por membro familiar:

tabela-preco

Para saber a conversão em reais, pode-se considerar o dólar a 3,00 ou conferir a média do câmbio do dólar australiano.
Lembre-se! Se o curso não estiver totalmente pago, deve-se somar o valor restante à comprovação.

- Como comprovar a capacidade financeira?

Inicialmente, apresenta-se um extrato dos últimos 3 meses e outros documentos, como imposto de renda e comprovação de atividade empregatícia.

  • O valor pode ser apresentado na conta do próprio estudante ou de um patrocinador, ou seja, alguém da família.
  • Pode ser apresentado em conta corrente, poupança ou aplicações que permitem retirada imediata, como CDB ou CDI.
  • O valor correspondente deve estar na conta há pelo menos 90 dias (3 meses) que antecedem a aplicação do visto junto à Imigração. Deve ser um valor congelado em conta, sem movimentação bancária significativa.
  • Contas jurídicas não são recomendadas, mas caso seja a única opção, deve ser analisada com o despachante consular para verificar tal possibilidade, pois há outros fatores a serem levados em conta nessa situação.

Em alguns casos são permitidos apresentar o imposto de renda como prova da capacidade financeira. Deve-se analisar com o despachante consular.

- É obrigatório levar esse montante para a Austrália?

Não. Normalmente, esse valor só é exigido no momento da aplicação do visto. No entanto, esteja consciente de que a Imigração reserva o direito de solicitar tal comprovação novamente a qualquer momento durante o processo.
O ideal é que o estudante ou patrocinador não movimente o valor apresentado em conta até o momento em que o visto é aprovado.

Dito essas considerações, recomenda-se que todas as questões envolvidas na capacidade financeira sejam analisadas com o despachante consular responsável por seu processo de visto.

A comprovação financeira é uma forma de garantir que o estudante tem plena condição de se sustentar e pagar pelo curso durante a estadia na Austrália. Tenha isso em mente e compreenda que é uma questão de segurança por parte da Imigração e do próprio estudante.

Planeje-se para que sua aplicação de visto seja a mais satisfatória possível.
Com planejamento e informação segura, seus projetos podem se tornar realidade.

Fonte: http://www.border.gov.au/Trav/Visa-1/500-

CLOSE
CLOSE